Páginas

21 de jun de 2011

Inquietações...

"Digo que nada é inteiramente ruim se isso que me inquieta mostra que estou vivo" - Lya Luft, em A Riqueza do Mundo

__________________________________________________________


"Permitindo-me viver minhas inquietações, mais do que nunca, é que percebo que estou vivo. De fato, estou imerso nelas, descubro em seu marasmo ou caos a essência que emana de meu ser. Assim, percebo o quanto estou longe daquele mundo perfeito onde tudo evoca o inalcançável . Prefiro pensar e crer no ideal tracejado nas linhas do real, do concreto e passível de vir a ser."

__________________________________________________________

10 de jun de 2011

A sina do poeta

Os poetas amam, muitas vezes só amam e nada mais. 
__________________________________________________________


O amor escrito pelos poetas não é simplesmente amor. Cada escrito em que evoca ou se relaciona com tal palavra, traz à tona as muitas poesias esquecidas e amores que só existiram de fato em seu mundo poético de beleza e perfeição, seu mundo de um sentimento individual e de palavras que foram deixadas ao tempo...
Esta é a sina, dolorosa sina daquele que abriga em seu espírito a alma de um poeta. A sina do rio é o mar, a sina do poeta, só amar...



Escrito por Edward de A. Campanário Neto, poeta.
__________________________________________________________

8 de jun de 2011

Nascimento do poema



Os poemas nascem como uma sina, como um parto em meio à vida: vida que traz vida

Edward de A. Campanário Neto


__________________________________________________________


"Entender me sequestra de palavras e de coisa,
arremessa-me ao coração da poesia.
Por isso escrevo os poemas
pra velar o que ameaça minha fraqueza mortal."

__________________________________________________________

4 de jun de 2011

O que vale mais...

Olhando para a vida alcançamos o real valor que há
__________________________________________________________

"Hoje, indo para o trabalho, me deparei com uma senhora que conversava com outra em uma calçada. Passando com a costumeira pressa, atentei meus ouvidos para as sábias palavras que lhe escorriam da boca: "Sabe que tem coisa que a gente faz de graça que vale muito que se eu ganhasse um salário?"."
__________________________________________________________

3 de jun de 2011

Eu quero...

O que você quer?




"E assim eu quero a doçura da vida
Olhar nos seus olhos e estender minha mão
Quero te convidar para dançar na chuva
Bailar mil voltas na mesma canção"


__________________________________________________________

1 de jun de 2011

Onde mora, felicidade?

A felicidade pode mudar-se para bem perto

"Onde mora, felicidade?
Me deixa entrar na sua sala...
Posso sentar e te ouvir?
Quando eu bater na porta você vai abrir?"
__________________________________________________________